Conheça o Number Cake, forte tendência da confeitaria para 2018

Conheça o Number Cake, forte tendência da confeitaria para 2018

É difícil imaginar aniversário, casamento ou outras festas sem um bolo. Disponíveis em vários sabores, formatos e tamanhos, eles são quase unanimidade. Buscando constante inovação, o segmento de confeitaria agora aposta no Number Cake, estilo preferido de 2018.

O próprio nome já indica do que se trata. Em princípio, o grande diferencial é o formato, feito em modelo de número, em geral com a idade que está sendo celebrada. No entanto, podem variar nas formas de coração, letras e símbolos, mantendo a mesma estrutura.

Segundo o chef Fabien Helleu, do Ilê de France, o conceito do bolo vem dos Estados Unidos e começou a se popularizar no Brasil por causa de imagens postadas nas redes sociais. “As pessoas começaram a gostar porque é esteticamente bonito e diferente, além de dispensar vela e ser mais fácil de cortar”, explica.

Já para a chocolatier Renata Diniz, o bolo caiu no gosto do público por causa da novidade e da leveza. “Tudo que é diferente agrada. Ele é mais leve porque não tem cobertura, pasta americana nem chantilly. Para mim, os bolos pelados são a tendência do momento.” Ela completa que o produto pode assustar, às vezes, pela necessidade de ser grande para fazer o número.

A cozinheira Marcella Andrade, do Pimenta Preta, aponta que o apelo visual do bolo rouba a cena. “É muito bonito e quem faz festa quer algo bacana para as fotos. Mesmo com decoração, ele por si só chama atenção”. Uma ressalva lembrada por Marcella: como a massa é crocante, feita com biscoito, pode quebrar muito na hora do corte.

VANILLETANZ/REPRODUÇÃO

VanilleTanz/ReproduçãoNumber Cake em forma de coração

Os especialistas explicam que o Number Cake é uma evolução do Naked Cake, o famoso bolo pelado, febre dos últimos anos. A estrutura segue sendo a mesma, porém com o formato diferenciado. A guloseima é feita com massa amanteigada, creme mais pesado e decorado com frutas e flores. O recheio, em geral, é o mesmo utilizado em produtos tradicionais.

Fonte/Créditos: Metrópole – Tatyane Mendes

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seu nome

Mensagem