Regulamento Técnico de Boas Práticas para serviços de alimentação

Regulamento Técnico de Boas Práticas para serviços de alimentação

Você que possui restaurante ou cozinha profissional para entrega delivery deve estar dentro dos Regulamentos Técnicos de Boas Práticas para Serviços de Alimentação referente a Resolução RDC n° 216 da Anvisa.

As Boas Práticas são ferramentas de qualidade utilizada para que se possa ter um controle de todas as etapas do processo de fabricação e manipulação dos alimentos e isso abrange desde a produção da matéria prima, no campo por exemplo, até ele chegar nas mãos do consumidor pelas gôndolas dos supermercados, em um prato nos restaurantes e principalmente ao serviço delivery.

Tipo de edificação e as instalações, que devem ser projetadas de forma a possibilitar um fluxo ordenado e sem contaminação cruzada em todas as etapas da preparação de alimentos e facilitar as operações de manutenção, limpeza e, quando for o caso, desinfecção. As estruturas da indústria ou serviços de alimentação deve ser analisado desde o layout, cada etapa do processo como, armazenamento dos utensílios e equipamentos, potabilidade da água utilizada, controle de pragas, manejo de resíduos, assepsia e higiene dos manipuladores de alimentos, equipamentos e instalações que permitam higienização são grandes detalhes que o arquiteto especialista em cozinhas profissionais Renato Feroldi destaca estes aspectos importantes para cozinhas em geral a seguir:

⋅Sistema de abastecimento de água, lembrando que deve ser utilizada somente água potável para manipulação de alimentos;

⋅O estabelecimento deve dispor de recipientes identificados e íntegros para o manejo dos resíduos, de fácil higienização e transporte, em número e capacidade suficientes para conter os resíduos;

⋅O controle da saúde dos manipuladores (funcionários) deve ser registrado e realizado de acordo com a legislação específica;

⋅Os serviços de alimentação devem especificar os critérios para avaliação e seleção dos fornecedores de matérias-primas, ingredientes e embalagens;

⋅O transporte dos insumos deve ser realizado em condições adequadas de higiene e conservação;

⋅As matérias-primas, os ingredientes e as embalagens utilizados para preparação do alimento devem estar em condições higiênico-sanitárias adequadas;

Os alimentos preparados mantidos na área de armazenamento ou aguardando o transporte devem estar identificados e protegidos contra contaminantes. Na identificação deve constar, no mínimo, a designação do produto, a data de preparo e o prazo de validade.

As áreas de exposição do alimento preparado e de consumação ou refeitório devem ser mantidas organizadas e em adequadas condições higiênico-sanitárias. Ainda existe muito a fazer para que todos os estabelecimentos que manipulação ou produzam alimentos que estejam adequados de acordo com as exigências da fiscalização sanitária.

 

Por: Renato Feroldi – Arquiteto Intellikit


Compartilhe este post com as pessoas em suas redes sociais e marque o perfil. Curta e siga o @gastronomidiaoficial no Facebook ou no Instagram.

Nós também estamos no WhatsApp, adicione o nosso número (11) 97725-5667 em seus contatos ou utilize este link para falar com a gente.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seu nome

Mensagem